O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acusou hoje o Irão de desestabilizar a região do Médio Oriente e de apoiar os “crimes indescritíveis” do presidente sírio, Bashar al-Assad.

“Tudo o que está a acontecer na Síria é culpa do regime iraniano”, disse Trump ao discursar perante os líderes de 55 países muçulmanos numa conferência na capital da Arábia Saudita.

O presidente norte-americano apelou a todas as nações para “trabalharem para isolar o Irão e [privá-lo] dos fundos que financiam o terrorismo”.

Poucas horas antes do discurso, já se sabia que o Presidente dos Estados Unidos ia apelar, em Riade, à luta contra o extremismo islâmico, sublinhando que o combate ao terrorismo “não é uma luta entre religiões”. “Esta não é uma batalha entre diferentes religiões […] ou diferentes civilizações”, lia-se num excerto do discurso distribuído à imprensa pela Casa Branca.

É uma batalha entre criminosos bárbaros que tentam aniquilar a vida humana e gente boa de todas as religiões que tenta protegê-la. É uma batalha entre o bem e o mal", acrescenta o texto.

Erradicar a ameaça terrorista exige "confrontar honestamente a crise do extremismo islâmico e dos grupos terroristas islâmicos que inspira".