Um juiz federal de Seattle bloqueou, temporariamente, a ordem executiva do Presidente Donald Trump que proíbe a entrada de cidadãos de sete países de maioria muçulmana.

James Robart atendeu ao pedido feito pelos Estados de Washington e do Minnesota que pedia a suspensão da medida.

Segundo a Associated Press, a ordem do juiz tem efeito em todo o país.

O pedido foi avançado pelo procurador-geral de Washington, Bob Ferguson, à qual se juntou o Estado do Minnesota.

A ordem executiva do presidente tem sido desafiada por vários advogados em todo o país, mas oficiais do Governo afirmam que as autoridades estatais não têm poder para a desafiar a medida, já que o Congresso deu autorização ao presidente para tomar decisões ao nível da segurança.

Esta sexta-feira ficou a saber-se que mais de 100 mil vistos foram revogados desde que Donald Trump assinou a ordem executiva, que além de suspender a entrada de cidadãos de sete países muçulmanos nos EUA, também travou a entrada de refugiados.

Os números foram divulgados por um advogado do Estado durante uma audiência no tribunal federal de Alexandria, Estado da Virgínia, onde decorre o processo movido por dois irmãos iemenitas, que à chegada ao aeroporto de Dulles (EUA) foram colocados num avião de volta para a Etiópia, mesmo tendo consigo vistos legais de residência - que levaram anos a conseguir.

Redação / EC - Última atualização às 00:58