O irmão mais novo de Donald Trump, Robert Trump, morreu no sábado à noite, aos 71 anos, depois de ter sido hospitalizado em Nova Iorque, anunciou o presidente dos Estados Unidos.

Na sexta-feira, Donald Trump visitou o irmão num hospital de Nova Iorque, depois de responsáveis da Casa Branca terem afirmado que o estado de Robert Trump era grave, sem ter sido adiantado a causa da doença.

"É com um coração pesado que partilho que o meu maravilhoso irmão, Robert, morreu pacificamente esta noite", disse Donald Trump, numa declaração.

"Não era apenas o meu irmão, era o meu melhor amigo. A sua ausência será profundamente sentida, mas voltaremos a estar juntos. A sua memória viverá para sempre no meu coração. Robert, amo-te. Descansa em paz".

O mais novo dos cinco irmãos Trump era próximo do presidente norte-americano e, em junho, interpôs, sem êxito, uma ação em nome da família para impedir a publicação de um livro sobre Donald Trump escrito pela sobrinha, Mary.

Em junho, Robert Trump passou vários dias numa unidade de cuidados intensivos.

Empresários de longa data, Robert e Trump tinham personalidades muito diferentes. Donald Trump descreveu uma vez o seu irmão mais novo como "mais sossegado e mais fácil".

Robert Trump começou a carreira em Wall Street, mas mais tarde juntou-se, como executivo, ao negócio da família para gerir a área imobiliária.

"Quando trabalhava na Organização Trump, era conhecido como o Trump simpático", disse Gwenda Blair, uma biógrafa da família, à agência de notícias Associated Press (AP). "Robert era aquele que as pessoas chamavam quando surgia um problema".

No livro "The Art of the Deal", que publicou em 1987, o atual Presidente norte-americano escreveu sobre Robert: "Penso que deve ser difícil ter-me como irmão, mas ele nunca disse nada sobre isso e somos muito próximos".

"Robert dá-se bem com quase todas as pessoas, o que é ótimo para mim, uma vez que por vezes tenho de ser o mau", acrescentou Trump.

/ AM