O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, atacou, este domingo, vários congressistas democratas, a quem pediu para voltarem para os seus países de origem, que disse serem “corruptos e lugares infestados de crimes”.

É "muito interessante ver congressistas democratas, progressistas, que originalmente vêm de países cujos governos são uma catástrofe total e completa, os piores, os mais corruptos e ineptos do mundo (se é que funcionaram como governos), dizerem em voz alta e agressivamente para o povo dos Estados Unidos, a nação maior e mais poderosa do mundo, como o nosso governo deve ser gerido", escreveu Trump na rede social Twitter.

 

O comentário do presidente referia-se a um grupo de senadores da câmara baixa, nomeadamente Alexandria Ocasio-Cortez, Ilhan Omar e Rashida Tlaib, que lideraram as divergências com a líder dos democratas naquela câmara, Nancy Pelosi.

Ocasio-Cortez, Tlaib e Pressley nasceram nos Estados Unidos, mas têm origem porto-riquenha e palestiniana, enquanto Omar nasceu em Mogadiscio e chegou a territorio norte-americano como refugiada.

Nos seus ‘tweets’ Trump questionou o motivo por que as congressitas não regressavam ao seus países “e os ajudam a melhorar os locais dos crimes, completamente infestados”.

Depois voltam e mostram como é que fizeram. Podem ir o mais rapidamente possível”, acrescentou.

Pelosi criticou os comentários de Trump, apelidando-os de xenófobos e que pretendem dividir os norte-americanos.

O que Trump disse sobre quatro congressistas mostra o seu plano de construir uns 'Estados Unidos brancos, outra vez'”, escreveu a congressista numa alusão ao 'slogan' de campanha de Donald Trump “Make América great again”.