O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, deu uma entrevista conjunta ao jornal alemão Bild e ao jornal britânico Times of London. Merkel, Brexit e Putin foram alguns dos temas abordados. Questionado sobre se confiava mais em Merkel ou Putin, Donald Trump, responde que “confia nos dois, mas é preciso ver quanto tempo isso vai durar”.

Apesar de descrever Angela Merkel como “de longe, a mais importante líder” da Europa, Donald Trump considera que a sua política de acolhimento aos refugiados é “catastrófica”.

"Tenho um grande respeito por ela, sinto que ela é uma grande líder, mas acho que cometeu o erro catastrófico de levar todos os ilegais e essas pessoas sem saber de onde vêm e, na realidade, ninguém sabe mesmo de onde vêm”

Recorde-se que a chanceler alemã vai concorrer para um novo mandato e mantém firme a sua posição de aceitar todos os migrantes que sejam legítimos refugiados. Em 2015, a Alemanha acolheu mais de um milhão de refugiados, tornando-se o país europeu que mais migrantes recebeu.

Já em relação ao Brexit, Donald Trump considera a decisão “muito inteligente”. “Acho que o Brexit se vai revelar algo de muito bom”, afirmou o presidente eleito dos Estados Unidos.

Questionado sobre os motivos do sucesso da campanha pela saída da União Europeia, Donald Trump responsabiliza as fronteiras abertas e o medo dos efeitos da imigração.

“Os países querem a sua própria identidade. O Reino Unido que a sua própria identidade. Eu acredito mesmo nisto. Se não tivessem sido obrigados a receber tantos refugiados, com todos os problemas que acarretam, não teriam tido o Brexit. Provavelmente, teria funcionado”

Ao contrário de Barack Obama que, na altura do referendo alertou que o Reino Unido teria de ir para o fim da fila para negociações comerciais, Trump já garantiu que nas primeiras semanas, após assumir o seu lugar na Casa Branca, vai oferecer “ um acordo justo” à Grã-Bretanha. 

Donald Trump revelou ainda, na entrevista, que vai convidar a primeira-ministra britânica, Theresa May, logo após a sua posse, para que os dois países assegurem “um bom acordo muito rapidamente.

Em relação à Rússia, Trump assume estar a aberto a levantar sanções ao país liderado por Vladimir Putin.

“Existem sanções contra a Rússia – vamos ver se conseguimos fazer bons negócios com a Rússia. Para começar, ao nível de armas nucleares, penso que elas deviam ser reduzidas substancialmente. Mas a Rússia está a sofrer muito por causa das sanções, acredito que alguma coisa pode acontecer para muitas pessoas poderem beneficiar”

Mais uma vez, o presidente eleito, não hesitou em criticar a NATO, defendendo que precisa de fazer mais na luta contra o terrorismo.
“Já disse há muito tempo que a NATO tem problemas. Primeiro que tudo é obsoleta, porque foi pensada há muitos, muitos anos.

Segundo, os países não estão a pagar o que deviam estar a pagar”, o que defendeu, ser injusto para os Estados Unidos.
Entretanto, o ministro dos Negócios Estrangeiros alemão Frank-Walter Steinmeier já veio dizer que as palavras de Donald Trump, acusanto a NATO de ser “obsoleta” causam “preocupação”.

Steinmeir, que participa na reunião dos ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia, em Bruxelas, disse que se encontrou hoje com o secretário-geral da Aliança Atlântica, Jens Stoltenberg.

“As declarações do presidente eleito (Donald Trump) foram recebidas com preocupação”, adiantou o chefe da diplomacia de Berlim.
 

LEIA TAMBÉM: Trump promete proteção na saúde “para toda a gente”

Redação / PP