O presidente dos Estados Unidos defendeu esta segunda-feira na Califórnia, estado devastado por incêndios, a necessidade de haver “gestão das florestas”, mas os seus adversários políticos acusam-no de não levar a sério a ameaça do aquecimento global.

Este é um dos maiores incêndios que já vimos e temos muito a fazer em termos de gestão florestal. Obviamente, a gestão florestal na Califórnia é muito importante, o que agora se estende também a Washington e Oregon”, disse Donald Trump, à chegada a Sacramento, onde será informado sobre a situação dos incêndios na Califórnia e participará numa homenagem à Guarda Nacional.

“Quando as árvores caem, depois de um tempo, 18 meses, ficam muito secas. Ficam mesmo como um fósforo”, afirmou, acrescentando que “como as árvores já não têm mais água a circular nelas, ficam muito, muito ... explodem. Elas podem explodir”.

Donald Trump desvalorizou, no entanto, as preocupações das autoridades da Califórnia sobre o aquecimento global.

Vai acabar por arrefecer”, afirmou, acrescentando que não acredita que a ciência saiba realmente o que se passa.

Trump já tinha defendido, no domingo, que os estados afetados pelos incêndios e governados por democratas sofrem de “má gestão florestal”.

O seu adversário político e candidato democrata à Casa Branca, Joe Biden, também falou hoje sobre a situação, considerando que o presidente é um “incendiário do clima” por rejeitar a realidade das alterações climáticas, fenómeno que é, em parte, responsável pelos incêndios que devastam o oeste norte-americano.

Se dermos a um incendiário do clima mais quatro anos na Casa Branca, como é que podemos ficar surpreendidos com uma América mais devastada por incêndios?", questionou o ex-vice-presidente, que vai desafiar o presidente republicano na eleição presidencial de 3 de novembro.

“Se dermos a um cético do clima mais quatro anos na Casa Branca, como é que podemos impedir que mais partes da América fiquem submersas? Precisamos de um presidente que respeite a ciência, que entenda que os danos das alterações climáticas já começaram”, acrescentou Joe Biden.

“Temos escolha, podemos comprometer-nos a avançar juntos já que sabemos que as alterações climáticas são um desafio que vai determinar o futuro do nosso país”, ou “podemos escolher o caminho de Donald Trump: ignorar os factos e negar a realidade, o que significa rendermo-nos completamente”, disse.

As dezenas de incêndios que devastam a costa oeste norte-americana há vários dias já mataram pelo menos 35 pessoas desde o início do verão, incluindo 27 nesta semana nos estados de Washington, Oregon e Califórnia.

Os incêndios, que estão a aumentar em número e intensidade em todo o mundo, têm sido associados pelos cientistas a vários fenómenos ligados ao aquecimento global.

/ AG