Donald Trump reclamou vitória em Estados onde ainda não são conhecidos os resultados eleitorais onde a disputa ainda está em aberto e afirmou que vai recorrer ao Supremo Tribunal para que "a votação pare".

Queremos que a lei seja usada da maneira apropriada. Vamos para o Supremo Tribunal, queremos que a votação pare", vincou.

Numa declaração aos eleitores, depois do fecho das urnas, Trump disse que o Partido Republicano ganhou as eleições e falou numa "fraude para o público americano".

Isto é uma fraude para o público americano. Isto é um embaraço para o nosso país. Estávamos preparados para ganhar esta eleição e, francamente, ganhámos esta eleição", destacou.

O candidato reclamou vitória em Estados onde ainda não são conhecidos resultados oficiais, como a Geórgia, a Carolina do Norte ou a Pensilvânia.

Também é claro que ganhamos a Geórgia. (...) Claramente ganhámos a Carolina do Norte. Eles não nos podem apanhar. (...) Estamos a ganhar a Pensilvânia por uma grande vantagem."

“Infelizmente, algumas pessoas querem estragar estas eleições. Não o vamos permitir”, acrescentou.

“Estamos a ganhar tudo. Os resultados são fenomenais. Devíamos estar a ir lá para fora para celebrar. (...) Mas… de repente… o que aconteceu?! Sabem o que aconteceu: eles sabem que não conseguem ganhar e querem ir para os tribunais", continou.

Trump deixou depois uma ameaça: “Não vamos deixar que votos colocados às quatro da manhã ainda sejam contados.”

As palavras de Trump vieram dar força à ideia de que a noite eleitoral norte-americana se poderá transformar numa longa “semana eleitoral”, numa altura em que falta apurar votos em Estados que são decisivos para este escrutínio e cujos resultados não deverão ser conhecidos até sexta-feira. O Wisconsin, o Michigan e a Pensilvânia, que fazem parte do leque de Estados decisivos, já fizeram saber que não vão conseguir anunciar resultados nas próximas horas. 

Antes, o presidente norte-americano já tinha acusado os democratas de estarem a "tentar roubar a eleição", numa mensagem partilhada no Twitter.

Estamos em grande, mas eles estão a tentar roubar a eleição", escreveu.

Sofia Santana