Donald Trump tornou-se este domingo no primeiro presidente dos Estados Unidos a entrar em solo da Coreia do Norte, depois de cumprimentar o líder norte-coreano, Kim Jong-un. No final do encontro, Trump afirmou que os dois países vão iniciar reuniões de trabalho "nas próximas três semanas" sobre o processo de desnuclearização.

Este foi o terceiro encontro entre os presidentes dos dois países, depois da cimeira histórica de Singapura em junho de 2018 e o encontro de Hanoi em fevereiro passado.

É um grande dia para o mundo", disse Donald Trump depois de ter cumprimentado Kim Jong-un, cerca das 15:50 locais (07:50 em Lisboa).

O presidente norte-coreano afirmou, antes da reunião, que esperava "ultrapassar as barreiras" graças às ligações com Donald Trump.

Este encontro, que ocorreu na vila de Panmunjon, onde foi assinado o armistício (entre as duas coreias) de 1953, "significa que queremos pôr termo a um passado infeliz e tentar criar um novo futuro", afirmou ainda o presidente norte-americano.

Já no final do encontro, que durou cerca de 50 minutos, Trump afirmou que os dois países vão iniciar reuniões de trabalho "nas próximas três semanas" sobre o processo de desnuclearização.

O que vai acontecer é que nas próximas duas ou três semanas as equipas vão começar a trabalhar", vincou.

Apesar deste passo, o presidente norte-americano disse que as atuais sanções à Coreia do Norte vão continuar em vigor.

As conversações bilaterais sobre desnuclearização entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte estavam num impasse desde a cimeira falhada de Hanói entre Trump e Kim, em fevereiro.

Entretanto, Trump disse que no encontro de hoje que convidou o líder norte-coreano a visitar os Estados Unidos.

/ SS - atualizada às 11:18