O presidente norte-americano pediu, neste domingo, ao Congresso para investigar eventuais escutas de que tenha sido alvo, por ordem do seu antecessor, Barack Obama, antes das eleições.

Donald Trump "solicita que, no âmbito das suas investigações sobre as atividades relacionadas com a Rússia, as comissões sobre os serviços secretos do Congresso exerçam a sua autoridade de supervisão para determinar se o poder executivo excedeu, em 2016, os seus poderes de investigação", afirma em comunicado Sean Spicer, porta-voz da Casa Branca.

No sábado, o porta-voz do ex-presidente Barack Obama desmentiu as acusações de Trump.

Nem o presidente Obama, nem qualquer responsável da Casa Branca ordenaram alguma vez a vigilância de qualquer cidadão norte-americano”, indicou Kevin Lewis, também em comunicado.

A acusação de Trump surgiu em várias mensagens divulgadas na rede social Twitter, onde ainda se referiu a Obama como um homem "mau (ou doente)".

Terrível! Acabei de descobrir que o presidente Obama colocou as minhas linhas [telefónicas] sob escuta na Trump Tower, mesmo antes da minha vitória. É maccarthysmo", disse, referindo-se à perseguição nos anos 1950 aos comunistas.