O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi proposto para nomeação a Nobel da Paz em 2021. A proposta foi apresentada pelo deputado norueguês Christian Tybring-Gjedde, que sublinha os esforços de Trump para resolver conflitos em todo o mundo.

Creio que ele fez mais pela paz entre nações do que a maioria de outros nomeados a Nobel da Paz”, disse Christian Tybring-Gjedde, numa entrevista à Fox News.

Na carta que enviou ao Comité Nobel, Christian Tybring-Gjedde considerou que Trump desempenhou um papel fundamental no restabelecimento das relações entre Israel e os Emiratos Árabes Unidos: “Como ele esperava, outros Estados do Médio Oriente vão seguir os passos dos Emiratos Árabes Unidos. Este acordo pode ser o ponto de mudança no jogo, que vai tornar o Médio Oriente numa região de prosperidade e cooperação.”

Tybring-Gjedde cita ainda outros conflitos onde considera que Trump teve um papel fundamental, como a fronteira entre a Caxemira Indiana e o Paquistão ou o conflito entre a Coreia do Sul e a Coreia do Norte.

Na verdade, Trump pôs fim a um período de 39 anos em que presidentes americanos começavam guerras ou empurravam os Estados Unidos para conflitos armados. O último presidente a agir deste modo foi o laureado com o Nobel da Paz Jimmy Carter”, escreveu.

Christian Tybring-Gjedde, que pertence a um partido conservador e populista da Noruega, diz, na entrevista à Fox News, que nem é “grande fã” de Trump, mas defende que o Comité Nobel o “deve julgar pelos factos”.

Manuela Micael