Os alunos de uma escola secundária nos arredores de Durban, litoral do país, ficaram furiosos com as más notas de fim de ano e incendiaram aquele estabelecimento de ensino público, noticiou a imprensa sul-africana.

Há alegações de que o incêndio começou após o caos que se instalou quando os editais da escola foram publicados e os alunos sentiram que os resultados obtidos não eram o que mereciam", disse fonte do Departamento de Educação da província do KwaZulu-Natal.

Os alunos acusaram os professores de darem más notas", adiantou o porta-voz provincial Kwazi Mthethwa, citado pela imprensa sul-africana.

Segundo aquele responsável, o incidente ocorreu na quarta-feira na escola secundária Zwelinjani, na localidade de Zwelibomvu, Pinetown, oeste da cidade litoral de Durban, tendo o fogo destruído por completo o "gabinete do director da escola, a cozinha e a sala dos professores".

O incidente não provocou feridos, salientou.

Apelamos a todos os alunos da escola a não recorrerem à violência, crime ou vandalismo contra a propriedade pública para resolver as suas preocupações", disse por seu lado o ministro provincial da Educação, Kwazi Mshengu.

Queremos sublinhar que não iremos recompensar a anarquia construindo outra escola quando, de facto, esta escola foi destruída deliberadamente", salientou.

A polícia sul-africana disse que está a investigar o incidente, mas não fez até ao momento qualquer detenção.

A província do KwaZulu-Natal tem registado elevados níveis de desordem pública, criminalidade e violência xenófoba contra estrangeiros africanos, segundo as autoridades locais.

/ BC