"A conclusão de um acordo é a única via, não há outra possibilidade", indicou o ministro. "Caso contrário, sobretudo a Grécia, mas também a União Europeia vão entrar em território desconhecido", considerou, em declarações publicadas no jornal Realnews.