Sete membros da Força Multinacional e Observadores no Sinai egípcio morreram, nesta quinta-feira, na queda de um helicóptero, sendo cinco norte-americanos, um francês e um checo, declarou uma fonte israelita à agência de notícias AFP.

“Há sete mortos, incluindo cinco norte-americanos, um francês e um checo”, todos integrantes de uma força multinacional responsável pelo monitorização da paz entre Israel e o Egito, disse esta fonte, sendo Israel um dos países fundadores desta missão independente que não está ligada à ONU.

A fonte israelita não especificou as causas do acidente.

O exército israelita ofereceu ajuda com uma unidade de elite para resgatar os "feridos" no local, disse à AFP o seu porta-voz, Jonathan Conricus, sem fornecer mais detalhes.

"Estamos a investigar ativamente um incidente envolvendo um de nossos helicópteros", disse Brad Lynch, um oficial da Força, à AFP do Cairo.

O tratado de paz egípcio-israelita de 1979 prevê a desmilitarização do Sinai, onde esta força multinacional está implantada desde o início dos anos 1980 para garantir o cumprimento do acordo.

Atualmente, tem pouco mais de 1.100 militares de diferentes nacionalidades posicionados no Sinai egípcio, onde há vários grupos armados, incluindo um braço local da organização extremista Estado Islâmico (EI).

/ CM