Vários artistas brasileiros votaram, este domingo, empunhando obras de grandes escritores brasileiros em protesto contra Jair Bolsonaro, o candidato do PSL (Partido Social Liberal).

O movimento, intitulado “Livro, Sim; Arma, Não”, pretendia incentivar os eleitores a levar livros para os locais de votação como forma de protesto contra o candidato da extrema-direita. A mensagem principal deste protesto é a luta por uma democracia, por uma melhor educação e pelo respeito pelos direitos humanos para os cidadãos do Brasil.

O movimento teve vários seguidores, como artistas e celebridades brasileiras que publicaram nas redes sociais os livros escolhidos para a votação.

Os atores Leticia Colin e Luis Lobianco votaram com os livros “Insubmissas Lágrimas de Mulheres”, de Conceição Evaristo, e “Devassos no Paraíso”, de João Silveiro Trevisan, respetivamente.

A atriz Mariana Ximenes levou consigo o livro "Cartas Perto do Coração", de Clarice Lispector e Fernando Sabino.

 

Já o ator Enrique Diaz votou com a obra “Cria da Favela”, da jornalista Reanta Souza.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Votando na escola !!!! ❤️

A post shared by Enrique Diaz (@enriquediazbrsil) on

O ator Matheus Nachtergaele votou com o livro do coreógrafo Wagner Schwartz, “Nunca juntos mas ao mesmo tempo”. Também a atriz Drica Moraes votou acompanhada da mãe, da filha e do livro “Para educar crianças feministas: Um Manifesto”, de Chimamanda Ngozi Adichie.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Pela liberdade da Democracia e a força dos livros!

A post shared by Drica Moraes (@oficialdricamoraes) on

O também ator Bruno Gagliasso votou com o livro “O Ódio Que Você Semeia”, de Angie Thomas, e utilizou o Instagram para mostrar esse momento.

 

Deborah Secco e o marido, Hugo Moura, foram votar com livros nas mãos. A atriz levou a coletânea de Nelson Rodrigues, “A Vida Como Ela É… Em 100 Inéditos”, e o marido e a filha levaram exemplares semelhantes. Hugo Moura levou ainda uma camisola com a mensagem “#EleNão”.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Peço desculpas mas não vou declarar o meu voto. Boa votação! Ps.: tem ironia nesse bilete

A post shared by Hugo Moura (@hugomourag) on

Hugo Moura não foi o único a utilizar essa camisola como protesto contra Jair Bolsonaro. Também Túlio Gadêlha, eleito deputado federal por Pernambuco, votou com a mensagem “#EleNão”.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Já votou? Não se esqueça! #elenão

A post shared by Túlio Gadêlha (@tulio.gadelha) on

O ator Fábio Assunção levou um livro do autor português Valter Hugo Mãe, que se mostrou "muito honrado", via Instagram, aproveitando para enviar um abraço e "profunda esperança na paz". "Pudessem os livros salvar o mundo".

 

O ilustrador Toni D’Agostinho também foi às urnas acompanhado pelo livro “Homens em Tempos Sombrios”, de Hannah Arendt.

Este protesto vem no seguimento do pedido que Fernando Haddad fez no último direto do seu Facebook. O candidato às eleições presidenciais pediu aos eleitores que levassem livros quando fossem votar.

Deixem o ódio de lado; urna é lugar de depositar esperança."

Cerca de 147 milhões de eleitores foram chamados este domingo às urnas para decidir quem será o próximo presidente do Brasil: Jair Bolsonaro ou Fernando Haddad.