Um eleitor terá votado em Bolsorano com o recurso a um revólver. Um vídeo mostra o cidadão a digitar os números, que correspondem ao candidato do PSDB, com a boca de uma arma.

O vídeo surgiu horas depois de o filho do candidato presidencial ter publicado uma mensagem, no Twitter, em que pedia aos eleitores que filmassem o momento em que votavam, caso tivessem "problemas com as urnas". 

Esta publicação levantou uma onda de contestação pelo facto de a lei eleitoral brasileira proibir a recolha de imagens no ato eleitoral. O Tribunal Superior Eleitoral reagiu no Twitter e advertiu a população para o facto de que a captura fotográfica nas urnas é punível com uma multa que pode chegar a 15 mil reais, cerca de 3 mil euros.