A quatro dias das eleições nos Estados Unidos, Hillary Clinton introduziu na campanha estrelas da música. Esta sexta-feira, um concerto reuniu um cartaz de músicos encabeçado por Beyoncé e Jay Z, num último esforço para conquistar votos dos indecisos, sobretudo dos jovens, depois dos escândalos que afectaram a campanha da democrata nas sondagens.

Beyoncé apelou com veemência ao voto e mais ainda ao voto em Clinton.

Eu quero ver a minha filha crescer vendo uma mulher a orientar o nosso país e sabendo que suas possibilidades são ilimitadas", disse a cantora.

Beyoncé foi mesmo a grande surpresa do concerto desta sexta-feira, em Clevland, no Ohio. O espetáculo de apoio à candidata democrata estava previsto há várias semanas e a participação de Jay Z já estava assegurada, mas não a participação de Beyoncé.

Hillary Clinton discursou após um dueto do casal Beyoncé e Jay Z, para dizer que “há trabalho para acabar”. Nem Clinton nem os convidados citaram o nome de Donald Trump no comício, mas o adversário republicano não esteve ausente.

Esse homem, eu não tenho qualquer má vontade... mas ele não pode ser meu presidente", disse Jay Z.

"Ele não pode ser o nosso presidente. Depois de nos dividir, vai enfraquecer-nos, somos mais fortes juntos."

Redação