O Partido Democrata tem mais um concorrente à Casa Branca, em 2020, com o anúncio da candidatura do investidor e ativista milionário Tom Steyer, que decidiu avançar por “estar frustrado” com a apatia do seu partido.

Tom Steyer, 62 anos, tem sido uma das figuras mais visíveis do Partido Democrata nas críticas a Donald Trump, pedindo à Câmara de Representantes para iniciar um processo de destituição ao atual inquilino da Casa Branca.

Steyer é fundador e gestor de uma instituição que gere fundos no valor de mais de 20 mil milhões de euros e distinguiu-se quando, em 2010, anunciou que daria metade da sua fortuna para missões de caridade.

Em janeiro, o investidor e ativista tinha anunciado que não se candidataria às eleições presidenciais de 2020, para se poder concentrar nos esforços de convencer o Partido Democrata a lançar um processo de destituição a Donald Trump no Congresso, por obstrução à justiça, na investigação à interferência russa nas eleições de 2016.

Nos últimos meses, Tom Steyer declarou-se “frustrado” pela passividade do Partido Democrata, sobretudo depois de ouvir a líder da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, dizer que este talvez não fosse o melhor momento para lançar o processo de ‘impeachment’, por falta de provas concretas e pela antecipação da resistência do Senado, onde a maioria Republicana travaria a iniciativa.

Com o anúncio de renúncia na corrida de Eric Swalwell, segunda-feira, a candidatura de Steyer volta a colocar em 25 o número de concorrentes nas primárias que escolherão o adversário Democrata à recandidatura do Republicano Donald Trump.

Steyer já não conseguirá participar na segunda ronda de debates televisivos das primárias Democratas, mas disse que tudo fará para estar presente no terceiro debate, falando do seu programa eleitoral.

No vídeo de apresentação, Tom Steyer prometeu reduzir a influência das grandes empresas na política norte-americana e tomar medidas drásticas para tentar reverter as mudanças climáticas, que é um dos objetivos do movimento NextGen American, apoiada por si.

Os outros candidatos democratas à Presidência têm muitas ideias que impulsionarão nosso país, mas não conseguiremos fazer nada até acabarmos com a aquisição hostil da democracia pelas corporações", disse Steyer no vídeo.

Os americanos estão profundamente desapontados e magoados com a forma como são tratados pela elite do poder em Washington. Isso é transversal aos partidos e transversal na democracia", disse Steyer.