O primeiro-ministro francês, Bernard Cazeneuve, pediu hoje aos eleitores para que rejeitem o apelo da candidata de extrema-direita, Marine Le Pen, e votem em Emmanuel Macron na segunda volta das eleições presidenciais francesas.

"A presença de um candidato de extrema-direita 15 anos depois do impacto que houve em 2002 obriga-nos a unir todos os republicanos contra" Marine Le Pen, destacou o chefe do executivo francês.

Cazeneuve referia-se à vitória de Jean-Marie Le Pen - pai de Marine - em 2002 contra o candidato do Partido Socialista, Lionel Jospin, na primeira volta das presidenciais, que lhe permitiu disputar a segunda vonta com Jacques Chirac, que acabou por sair vencedor.

Antes do primeiro-ministro, já o candidato socialista, Benoît Hamon, tinha apelado ao voto em Macron na segunda volta. 

Hamon reconheceu que a derrota mas disse que "a luta continua" e que continuará "a falar à inteligência do povo francês".

Le Pen parece ser, para já, a valer pelas projeções que lhe dão cerca de 21% dos votos, a senhora a enfrentar por Macron na última milha para o Palácio do Eliseu que se realiza a 7 de maio.

/ ALM com Lusa