No próximo dia 8 de junho, o Reino Unido vai escolher um novo governo. As eleições foram convocadas pela primeira-ministra, Theresa May, que desejava reforçar a maioria conservadora para ter uma melhor posição negocial nas conversações para o Brexit. Partiu com uma vantagem de 24% e, agora, segundo as últimas sondagens, apenas 3% separam conservadores e trabalhistas.

Segundo uma nova sondagem divulgada, esta quinta-feira, pelo jornal The Times, a distância entre conservadores e trabalhistas diminuiu. A primeira-ministra e líder dos conservadores, Theresa May, chega aos 42%. A confirmar-se este cenário, a chefe de governo terá de trabalhar numa coligação para reassumir o poder.

Por outro lado, o trabalhista Jeremy Corbyn, consegue chegar aos 39%, confirmando a subida consistente nas últimas sondagens.

A diferença está dentro da margem de erro da projeção das intenções de voto e faz prever uma corrida apertada na reta final da campanha eleitoral. Recorde-se que em abril passado, quando convocou as eleições May detinha um avanço de 24% sobre o principal partido da oposição.