Três agentes da polícia foram despedidos esta sexta-feira depois de terem enviado fotografias em que reencenam a situação que terminou na morte do afro-americano Elijah McClain, que perdeu a vida em 2019, depois de ter sido estrangulado pela polícia na cidade de Denver, Estados Unidos.

Um dos polícias envolvidos é Jason Rosenblatt, agente da polícia da cidade de Aurora, no estado do Colorado, e que esteve envolvido na morte do jovem de 23 anos.

Elijah McClain foi abordado por estar a usar uma máscara de esqui, num comportamento que os agentes entenderam como suspeito. Acabaram por deter o rapaz, aplicando-lhe uma manobra de estrangulamento. Mais tarde, os paramédicos acabariam por chegar ao local, e deram-lhe um sedativo. O jovem acabaria por morrer na sequência de um ataque cardíaco.

Nas imagens aparecem os agentes Kyle Dittrich, Erica Marrero e Jaron Jones, que riem e brincam com a situação. Um deles agarra o outro numa posição de estrangulamento, tal como aconteceu com Elijah McClain. Os primeiros dois foram despedidos, tal como Jason Rosenblatt. O terceiro polícia demitiu-se na sequência do caso.

Um outro polícia acabou por dar a conhecer o caso à chefia, que iniciou uma investigação interna.

A chefe interina da polícia de Aurora, Vanessa Wilson, afirmou à comunicação social que as fotografias foram enviadas a Jason Rosenblatt por outros agentes, não identificados, num gesto que prentedia "animar um amigo".

Jason Rosenblatt terá respondido com um texto a dizer "haha", segundo a agência Associated Press.

As fotografias também chegaram a Nathan Woodyard, executou a manobra de estrangulamento a Elijah McClain, mas o agente não foi punido porque acabou por não responder à mensagem

Estamos envergonhados, enojados e chateados", referiu Vanessa Wilson.

Este é mais um episódio que marca a luta antirracista nos Estados Unidos, que voltou a ficar em foco depois da morte do também afro-americano George Floyd, morto por um polícia.

António Guimarães