O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu esta segunda feira às Nações Unidas 200 milhões de dólares (cerca de 183 milhões de euros) para repatriar os venezuelanos que emigraram para o Peru nos últimos anos devido à crise económica no país.

“Se me derem 200 milhões de dólares, trago todos os venezuelanos do Peru de avião no prazo de um mês”, disse Nicolás Maduro, numa conferência de imprensa.

O Presidente da Venezuela dirigiu o pedido ao secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, à Alta Comissária para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, e ao Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

“Coloco 10 ou 15 aviões, de 300 lugares, e trago-os todos. O plano ‘Volta à Pátria’ tem uma limitação, que é o facto de não termos aviões suficientes para trazer os mais de 100 mil venezuelanos que se inscreveram para regressar”, adiantou Nicolás Maduro.

O chefe de Estado condenou a "xenofobia" sofrida pelos venezuelanos no Peru, onde vivem cerca de 850 mil, considerando que alguns sofreram "discriminação e exploração selvagem".

O Peru, juntamente com a Colômbia e o Equador, são os países da região que receberam o maior volume dos mais de quatro milhões de venezuelanos que, segundo as Nações Unidas, deixaram o país nos últimos anos como resultado da crise.