O Kremlin apelou ao Presidente francês, Emmanuel Macron, e à chanceler alemã, Angela Merkel, que devem reunir-se esta sexta-feira com o Presidente ucraniano, para que pressionem Volodymyr Zelensky a acabar com “as provocações” no leste do país.

Seria muito importante para nós que o senhor Macron e a senhora Merkel utilizassem a sua influência nesta videoconferência com o senhor Zelensky para lhe explicar a possibilidade de uma cessação definitiva de todas as provocações” na frente, afirmou o porta-voz da Presidência russa, Dmitri Peskov.

 

Claro, que também seria uma boa ocasião para recordar a necessidade de aplicar os acordos de Minsk”, adiantou, numa referência ao texto de 2015 que permitiu reduzir drasticamente os combates na zona.

Há várias semanas que os confrontos se multiplicam entre Kiev e os separatistas russos do Donbass (leste da Ucrânia), enquanto dezenas de milhares de soldados russos foram destacados para os arredores, fazendo recear uma grande operação militar.

Os ocidentais alertaram a Rússia contra as demonstrações de força e Volodymyr Zelensky vai reunir-se esta sexta-feira em Paris com Emmanuel Macron.

Angela Merkel participa no encontro por videoconferência.

O porta-voz do Kremlin também afirmou que havia “cada vez menos” relatos de violações do cessar-fogo na frente ucraniana, mas considerou que isso não é “motivo para se ficar totalmente tranquilo”.

/ CE