O presidente francês, Emmanuel Macron, advertiu este domingo que a França "não tem lições a receber de ninguém" sobre a questão dos migrantes porque é "o segundo país-anfitrião de asilo este ano", numa resposta a críticos italianos.

Nunca nos esqueçamos dos nossos valores, serei inflexível nesse ponto", afirmou o presidente francês, acabado de chegar à reunião informal europeia sobre migração.

Emmanuel Macron alertou ainda: "cada vez que traímos esses valores, criamos o pior". "É o respeito pelos direitos humanos, pelo indivíduo, por outros estados e sua integridade e solidariedade que nos une", salientou.

Líderes de Itália anunciaram na sexta-feira terem ficado indignados com as declarações do presidente francês de que a Itália "não está a viver uma crise migratória, mas uma crise política", alimentada por "extremos que jogam com medos".

Macron, nessa declaração proferida na sexta-feira, argumentou ainda que, desde o início deste ano, a França recebeu mais pedidos de asilo do que Itália, e denunciou o que chamou de espírito de "manipulação e hipersimplificação".

"650.000 desembarques em quatro anos, 430.000 pedidos, 170.000 suspeitos de refugiados", respondeu o ministro italiano do Interior, Matteo Salvini.

"Se para o arrogante presidente Macron isso não é um problema, nós convidamo-lo a parar com os seus insultos e provar a sua generosidade com factos, abrindo os muitos portos franceses e deixando de reprimir homens, mulheres e crianças" na fronteira franco-italiana.