Três pessoas foram diagnosticadas com o novo coronavírus na Alemanha, afirmou esta terça-feira a ministra da Saúde da região da Bavaria, Melanie Huml.

Os três infetados são colegas de trabalho na mesma empresa onde foi identificado o primeiro caso de coronavírus. Alemanha é o segundo país afetado da Europa, depois de França.

Segundo as autoridades o primeiro caso de coronavírus foi contraído no dia 21 de janeiro durante uma sessão de treino com trabalhadores chineses. 

Os pacientes estão agora a ser monitorizados isoladamente numa clínica em Munique.

Cerca de 40 trabalhadores foram identificados como potenciais casos clínicos e serão avaliados na quarta-feira", disse Melanie Huml num comunicado divulgado pelo Ministério da Saúde.

A China elevou para 106 mortos e mais de 4.000 infetados o balanço do novo coronavírus detetado no final do ano em Wuhan, capital da província de Hubei (centro).

As autoridades de Pequim confirmaram a primeira morte na capital chinesa de uma pessoa infetada pelo novo coronavírus (2019-nCoV), um homem de 50 anos que esteve na cidade de Wuhan, em 08 de janeiro.

Além do território continental da China, também foram reportados casos de infeção em Macau, Hong Kong, Taiwan, Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Estados Unidos, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, França, Alemanha, Austrália e Canadá.

As autoridades chinesas admitiram que a capacidade de propagação do vírus se reforçou.

As pessoas infetadas podem transmitir a doença durante o período de incubação, que demora entre um dia e duas semanas, sem que o vírus seja detetado.

O Presidente da República afirmou esta terça-feira estar a acompanhar a situação relacionada com o novo coronavírus e adiantou que, até agora, a comunidade portuguesa na China “ainda não foi atingida” e, em Portugal, “não há nenhum caso” provado de contaminação.

Marcelo disse ainda que está confiante que os portugueses que estão na cidade chinesa de Wuhan possam ser repatriatados o mais rápido possível através de uma "solução conjunta".

/ HCL