O Presidente de França, Emmanuel Macron, considerou quarta-feira que o homólogo da Turquia, Recep Tayyip Erdoğan, está a conduzir “uma política expansionista que mistura nacionalismo com islamismo” e que não é, por isso, “compatível com os interesses” da Europa.

De acordo com uma entrevista publicada na revista Paris Match, citada pela agência France-Presse (AFP), o chefe de Estado de França disse que Erdoğan está a conduzir “uma política expansionista que mistura nacionalismo e islamismo, que não é compatível com os interesses europeus” e, por essa razão, “é um fator de destabilização”.

A Europa tem de ver as coisas de frente e assumir responsabilidades”, explicitou Macron, acrescentando que não é “a favor da escalada” de tensões com Ancara, mas não acredita na “diplomacia impotente”.

As declarações de Macron surgem um dia antes de uma reunião com a chanceler alemã, Angela Merkel, em Fort Bréganon, em Bormes-les-Mimosas, residência de verão de todos os chefes de Estado franceses.

Erdoğan descreveu como “pirataria” as atividades de países que se opõem à Turquia no Mediterrâneo.

A busca unilateral de hidrocarbonetos por parte de Ancara aumentou as tensões com países da União Europeia (UE), em particular com a Grécia, que reclama o território que está a ser explorado.

Erdoğan também criticou, de forma subentendida, o Governo francês.

Paris anunciou na última semana que iria enviar dois navios de guerra e dois aviões para o Mediterrâneo oriental, em sinal de apoio a Atenas.

/ HCL