Começou esta terça-feira a delicada operação para mover um farol com 120 anos, que estava numa zona em risco de erosão costeira no litoral norte da Dinamarca. O farol, que já foi desativado, foi movido com recurso a um mecanismo que irá fazê-lo deslizar, no total, ao longo de 70 metros, para uma zona segura. 

Quando o farol Rubjerg Knude, com 23 metros de altura, se acendeu pela primeira vez - em 1900 - ficava a aproximadamente 200 metros da costa. A distância diminuiu agora para seis metros.

Timelapse of the 120 year old, 700-ton Rubjerg Knude Lighthouse being moved the first metre on its 70m long journey inland to safety. pic.twitter.com/BaIE4TlKvC

O farol pesa cerca de mil toneladas e ilumina, do topo de um declive, a baía de Jammerbugten.

A deslocação é arriscada, mas o autarca local, Arne Boelt, disse à Associated Press que era um risco que queria correr: “Vale a pena o risco, a alternativa seria desmontar o farol”, sublinhou, afirmando também que era imperativo salvar o farol antes que este desabasse na praia.

A ministra dinamarquesa do Ambiente, Lea Wermelin, disse que o farol é “um tesouro nacional”, justificando as 5 milhões de coroas dinamarquesas (cerca de 670 mil euros) gastas pelo ministério para salvar a estrutura.

 

A deslocação do farol foi feita com o auxílio de rodas e carris. No total, o transporte deve demorar 10 horas, a uma velocidade de oito metros por hora.

A costa em frente ao farol tem perdido cerca de dois metros por ano, o que levou o município a concluir que o farol só iria sobreviver mais um ou dois anos.