Com o plano de vacinação em marcha na Escócia - e à semelhança do que acontece um pouco por todo o mundo - os idosos, regra geral, têm sido dos primeiros a receber a vacina contra a covid-19. E Christina Malley, de 80 anos, não seria exceção, mas a história que se segue está a correr o mundo pelas piores razões.

No dia em que era esperada no centro de saúde de Aberdeen, Christina não apareceu. No entanto, como a campanha de imunização da população está a ser levada bastante a sério naquele país, um grupo de enfermeiras foi tentar perceber por que motivo ela não tinha aparecido. O que elas não imaginaram foi que, o simples gesto, ia abrir um caso de polícia uma vez que descobriram que a idosa estava morta dentro da sua própria casa.

De acordo com o Daily Report, o principal suspeito de ter escondido o corpo da idosa é o próprio marido, com quem vivia, Daniel Malley, de 78 anos.

Quando as enfermeiras chegaram a casa do casal, o homem alegou que a mulher tinha viajado. As profissionais não ficaram convencidas e foram falar com alguns vizinhos que afirmaram que a mulher não era vista há vários anos.

A polícia foi depois chamada ao local e o cadáver da mulher foi encontrado. Mas os contornos macabros desta história vão ainda mais longe: de acordo com os testemunhos dados por várias pessoas, a polícia chegou à conclusão que a idosa já tinha morrido há, pelo menos, 12 anos.

Eu moro aqui há anos e nunca o vi com a mulher", disse um dos vizinhos, citado pelo Daily Report.

O jornal The Sun falou com uma fonte próxima do processo e descobriu que Daniel Malley disse às autoridades que a esposa tinha morrido de causas naturais há alguns anos atrás.

A polícia abriu uma investigação ao caso.

Redação / LF