Um menino escocês de nove anos recebeu quase 300 mil libras de indenização (cerca de 350 mil euros) após a morte do pai quando ainda era bebé.

Lex Warner, de 50 anos, morreu enquanto explorava os destroços de um barco a 15 milhas de Cape Wrath, nas Terras Altas da Escócia, em 2012.

Warner preparava-se para mergulhar do navio MV Jean Elaine, alugado à empresa Scapa Flow Charters (SFC) de Orkney,, quando caiu no convés e sofreu ferimentos internos.

A viúva da vítima, Debbie Warner, que abriu o caso em nome do filho do casal, Vincent, de nove anos, revelou ter recebido uma sentença no mais alto tribunal civil da Escócia, o Tribunal de Sessão, na sexta-feira.

O tribunal condenou a empresa a compensar 290 mil libras (cerca de 339 mil euros) por danos causados à família, após descobrir que existiu "falha e negligência" em nome da SFC.

O mergulhador foi ajudado a levantar-se e continuou com o mergulho depois de ter declarado que estava apto, mas teve problemas enquanto submerso e não pôde ser reanimado, relata o jornal BirminghamLive.

Foi inicialmente declarado por um tribunal de Edimburgo que a ação judicial contra a SFC tinha prescrito ao abrigo da Convenção de Atenas, que estabelece as leis em matéria de ações de indemnização relacionadas com o transporte de passageiros no mar.

Mas em 2018, o Tribunal de Sessão decidiu que a reclamação da viúva em nome do seu filho deveria ser autorizada a prosseguir.

Redação / HCL