O diretor do FBI solicitou, sem sucesso, ao Departamento de Justiça que desmentisse publicamente as acusações de Donald Trump de que Obama tinha mandado gravar as suas comunicações em 2016.

A informação foi revelada pelo jornal New York Times, e confirmada posteriormente por outros órgãos de comunicação, que citaram como fontes altos funcionários norte-americanos.

O diretor do FBI, James Comey, argumentou que a gravidade das acusações de “escutas” às comunicações de Trump exigia um comunicado público por parte do Departamento de Justiça de que eram incorretas.

Não aconteceu. O visado defendeu-se: Obama logo respondeu ao atual presidente norte-americano, desmentindo-o, isto é, dizendo que nunca o vigiou.

Trump não se deixou ficar e pediu ao Congresso para apurar se Barack Obama "excedeu" os seus poderes.