A primeira-ministra britânica, Theresa May, rejeitou excluir Gibraltar das negociações com a UE sobre a saída e a futura relação do país com a União Europeia (UE), como pretende o Governo espanhol.

Durante a sessão semanal de respostas aos deputados na Câmara dos Comuns, esta quarta-feira, May afirmou "o apoio firme a Gibraltar, à sua população e à sua economia" e disse que território fez parte das negociações para a saída do Reino Unido da UE.

Estou satisfeita por ter negociado um protocolo sobre Gibraltar que fará parte de um pacote de acordos entre o Reino Unido, Espanha e o Governo de Gibraltar que estabelece os compromissos das partes para uma cooperação", referiu.

Juntamente com o rascunho do acordo de saída do Reino Unido da UE, que deverá ser aprovado pelos líderes europeus este domingo num Conselho Europeu extraordinário, foi publicado um protocolo que regula o estatuto do território britânico localizado na Península Ibérica.

O protocolo prevê a criação de comités hispano-britânicos para abordar questões como os direitos dos trabalhadores transfronteiriços, a luta contra o contrabando, a proteção do ambiente ou a cooperação policial.

Porém, o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, ameaçou esta semana com um veto porque quer que, tanto no acordo de saída como na declaração política para a relação futura fique explícito que o futuro de Gibraltar será decidido por uma negociação política entre o Reino Unido e a Espanha.

O pequeno enclave de sete quilómetros quadrados com 32.000 habitantes e com fronteira no sul de Espanha é território britânico, mas é reivindicado pelas autoridades espanholas.

Hoje, Theresa May insistiu que não quer que as negociações sejam bilaterais, mas multilaterais.

Sempre fomos claros que não vamos excluir Gibraltar das negociações sobre o futuro relacionamento. Queremos um acordo que funcione para toda a família no Reino Unido, e que inclui Gibraltar", defendeu a primeira ministra, referindo às regiões britânicas e territórios dependentes.

 

Angela Merkel quer assunto resolvido até domingo

A chanceler alemã, Angela Merkel, está preocupada que este impasse possa atrasar, novamente, a finalização das negociações para a saída do Reino Unido da União Europeia. 

No parlamento alemão, durante o debate do Orçamento do Estado para 2019, Merkel deixou claro que não tem intenções de negociar um novo entendimento na reunião de líderes europeus de domingo, em Bruxelas, e espera que o presidente da Comissão Europeia e a primeira-ministra britânica cheguem a um acordo final esta quarta-feira.

Sabemos o quão difíceis têm sido as negociações na Grã-Bretanha, mas posso dizer que a Alemanha aceita este acordo de saída. Ainda temos a objeção de Espanha. Não sei como vamos resolver este problema, mas espero que seja alcançado um acordo até domingo (...) Nós queremos ter uma boa relação com o Reino Unido no futuro", disse Merkel.

A chanceler sublinhou a dificuldade em conseguir um entendimento para a fronteira entre a Irlanda do Norte e República da Irlanda e espera que também neste caso ambas as partes possam entender-se.