São várias as regiões espanholas que estão a apelar ao governo central para que volte a ser declarado o estado de emergência, que daria ao poder local a possibilidade de decretar confinamentos, numa altura em que a pandemia de covid-19 volta a estar descontrolada em Espanha.

Este sábado, dez regiões espanholas, entre elas as Astúrias, Castela-La Mancha e o País Basco, pediram ao governo que lhes permita decretar medidas mais restritivas.

O jornal El País refere que a intenção é levar à convocação de um Conselho de Ministros extraordinário, que teria lugar este domingo.

Diria com quase toda a certeza que vai haver um. Mas ainda não é oficial", referiu uma fonte do governo à agência Reuters.

Entretanto, a Comunidade de Valencia entrou este sábado em confinamento, medida que se estende até 9 de dezembro.

O presidente daquela região, Ximo Puig, garantiu que é possível decretar esta medida sem violar a constituição, acrescentando que a decisão pode ser tomada sem recurso ao estado de emergência.

Uma das regiões que se opõe a um novo confinamento é Madrid, onde existe atualmente uma medida de estado de emergência em vigor, depois de aquela ser a zona com mais casos diários do novo coronavírus.

Espanha tem registado os valores mais altos de covid-19 na Europa ocidental. Foi o primeiro país daquela zona a ultrapassar o milhão de casos, tendo já sido confirmadas perto de 38 mil mortes.

O governo da Catalunha também anunciou um confinamento generalizado em toda a região.

Precisamos de um estado de emergência descentralizado em que o governo catalão mantenha toda a capacidade de gestão", referiu o presidente da região, Pere Aragones.

Outras regiões estudam a possibilidade de confinamentos alternativos, seguindo o exemplo de Valencia. Caso o governo central não aceda ao pedido de um estado de emergência nacional, muitas regiões admitem recorrer aos tribunais.

Se o governo regional não fizer nada, vamos aprovar um confinamento", afirmou o presidente da região de Murcia, Fernando Lopez Miras, em declarações à TVE.

Caso o estado de emergência seja levado a votação no parlamento espanhol, é esperado que o governo consiga fazer a medida passar, uma vez que são esperados os apoios do Partido Nacionalista Basco e de outras organizações com ligações regionais.

António Guimarães