A casa na ilha de La Palma, nas Canárias, que, na semana passada, escapou incólume à passagem da lava do Cumbre Vieja, não resistiu à fúria do vulcão e juntou-se, nas últimas horas, às centenas de habitações destruídas após a erupção.

A notícia foi confirmada pelo autor da icónica fotografia que correu mundo, Alfonso Escudero, na sua conta no Instagram.

 

 

Numa das entrevistas que deu nesta quarta-feira, no caso à TVE, é mostrado um antes e um depois, que comprova a destruição da casa.

 

Batizada como "Casa Esperança”, por representar isso mesmo, um sinal de esperança no meio da tragédia, acabou por sucumbir à fúria do vulcão.

Iremos procurar outro sinal que não nos faça perder a esperança nestes dias difíceis para todos", escreveu, ainda, Alfonso Escudero.

A casa, situada entre Todoque e El Paraíso, pertencia a Inge e Rainer Cocq, um casal dinamarquês de reformados, que vivem na ilha há 30 anos. No momento da erupção encontravam-se fora das Canárias.

O vulcão Cumbre Vieja entrou em erupção no dia 19 de setembro e as autoridades já retiraram mais de seis mil pessoas do local.

O fluxo de lava, que parecia estabilizado e mais lento durante a última semana, sofreu uma mudança no fim de semana, ganhando velocidade na tarde de domingo e invadindo agressivamente cidades como Todoque.

A lava acabou mesmo por chegar ao mar e já está a causar várias reações químicas, entre as quais a formação de gases que podem ser perigosos para a saúde.

Redação / IC