Mauricia, hoje com 65 anos, espera que o tribunal de Família da cidade espanhola de Burgos lhe garanta a tutela dos seus dois filhos gémeos, que lhe foram retirados com dois meses, há cerca de um ano, sendo internados num centro de acolhimento.

Terça-feira, numa audiência à porta fechada, o tribunal da cidade do norte de Espanha adiou a decisão, após conhecer o relatório de um psicólogo que, segundo pessoas próximas à mãe sexagenária, considerava que ela era uma pessoa com algumas peculiaridades, mas sem  nenhum problema psicológico que pudesse prejudicar as crianças.

"Indícios de abandono" e uma "situação de desamparo" dos dois meninos foram as razões que ditaram que os gémeos fossem retirados a Mauricia pelos serviços sociais da província espanhola de Castela e Leão.

O tribunal de Família de Burgos irá marcar uma nova audiência, após recolher um novo parecer sobre o perfil psicológico de Mauricia. Até lá, os dois gémeos, hoje com um ano, deixarão a instituição que os alberga e deverão ficar ao cuidado de uma família de acolhimento.

"Não me tirarão os meus filhos"

À saída da primeira audiência no tribunal, a mãe Mauricia voltou a insistir que pretende manter os dois gémeos consigo, algo pelo qual não se bateu há seis anos em relação a uma filha que teve, igualmente após um processo de inseminação artificial.

Não me tirarão os meus filhos", foram as palavras de Mauricia, citada pelo jornal elPeriódico, para quem, a guarda das crianças por uma família de acolhimento é vista como um passo sem retorno para a sua adoção.

Para a diretora dos serviços sociais que decidiram o internamento dos gémeos, Mauricia não tem "as condições necessárias" para cuidar das crianças, embora Marian Paniego reconheça que a atitude da mãe se alterou, já que frequenta um programa de intervenção familiar, algo que não fez quando lhe foi retirada a filha, seis anos antes.

Mãe aos 64 anos

Mauricia é uma das mulheres mais velhas a ser mãe em Espanha. Voltou a ter dois filhos, gémeos, aos 64 anos, após se ter submetido a um processo de inseminação artificial nos Estados Unidos.

Aos 58 anos, através de um procedimento semelhante, Mauricia deu à luz uma menina, que também lhe foi retirada e entregue para adoção, sem que a mãe, segundo a imprensa espanhola, tenha contestado a situação, como agora está a fazer.

De acordo com o jornal elPeriódico, Mauricia terá sido a segunda mulher mais velha a ser mãe em Espanha, após o caso de María del Carmen Bousada de Lara, que teve gémeos com 67 anos, no ano de 2006, em Barcelona.

Apesar de não ser recordista, Mauricia de Burgos, há um ano, teve os seus momentos de fama, quando o Hospital Recoletas Burgos partilhou nas redes sociais da internet a cesariana que permitiu o nascimento dos dois gémeos. Que dois meses depois foram retirados à mãe.