O vice-presidente do governo de Espanha, e líder do partido de extrema-esquerda Podemos, Pablo Iglesias, abandonou o cargo, esta segunda-feira, para ser candidato nas eleições para o parlamento regional de Madrid, que se realizam a 4 de maio. 

O anúncio foi feito num vídeo publicado na página do Podemos na rede social Twitter. 

Madrid precisa de um Governo de esquerdas e acredito que posso ser útil. Tenho pensado muito sobre isso e decidimos que, se os militantes quiserem, vou apresentar-me às eleições em Madrid", afirmou. 

 

Transmiti a Pedro Sánchez [primeiro-ministro, socialista] a minha decisão de deixar o meu lugar no Governo quando a campanha eleitoral começar", acrescentou.

Pablo Iglesias disse querer impedir que "a extrema direita se apodere das instituições" e que "esta oportunidade exige responsabilidade e altivez" para que toda a esquerda se una nesta candidatura. 

Por seu lado, o líder do PP, Pablo Casado, e a presidente de Madrid, Isabel Díaz Ayuso, reagiram esta segunda-feira com uma única frase ao anúncio: "Comunismo ou liberdade".

A atual presidente da Comunidade Autónoma de Madrid, Isabel Díaz Ayuso, do Partido Popular (direita), convocou na semana passada eleições regionais para 4 de maio próximo, depois de ter dissolvido o Parlamento da região mais rica de Espanha.

A dirigente regional explicou na altura que tinha decidido por eleições antecipadas a fim de assumir a dianteira e evitar que o Partido Socialista (PSOE), o maior da oposição na região, e o Cidadãos (direita-liberal) apresentassem uma moção de censura, como tinham feito no mesmo dia na região Múrcia (sudeste).

A comunidade de Madrid, localizada no centro de Espanha e com quase sete milhões de pessoas, é uma das 17 comunidades autónomas, e inclui a cidade capital do país.

Cláudia Évora / Notícia atualizada às 12:11