À margem das campanhas eleitorais para as comunidades autónomas e para a Comissão Europeia, Pablo Iglesias, líder do Podemos, afirmou esta segunda-feira que está “convencido” de que o seu partido vai governar em conjunto com o PSOE, de Pedro Sánchez, ressalvando que quaisquer negociações só ocorrerão “depois de 26 de maio”.

O deputado mantém a calma, apontando “muitas horas” de trabalho para chegar a um entendimento, que começou a ser construído no dia 7 de maio, após uma reunião com Sánchez.

Tendo afirmado que “acabou a época dos governos a uma cor”, Iglesias sabe que um eventual entendimento com o PSOE não será suficiente, uma vez que os dois partidos juntos totalizam apenas 45% dos deputados eleitos.

Um cenário que já foi colocado de parte foi uma coligação com o Ciudadanos. Tanto Pedro Sánchez como Albert Rivera descartaram um bloco central entre os dois partidos.

Iglesias mantém assim a postura adotada na semana passada, quando defendeu a formação de uma coligação de esquerda.

Continua por se saber qual a posição dos partidos independentistas, que apesar de terem poucos deputados, poderão formar um número decisivo para a conquista da estabilidade.