Os vizinhos ligaram para o 112 a dar o alerta por volta das 12.30 de domingo: homens encapuzados, empunhando pistolas e metralhadoras estavam a invadir a Câmara Municipal de Alginet, em Valência, Espanha. Assustadas, as pessoas que estavam na rua entraram nos cafés e fecharam as portas. Imediatamente várias patrulhas da Guarda Civil se dirigiram ao local para impedir o que imaginaram ser um assalto à mão armada.

Chegados ao local, com grande aparato, os polícias agiram como se estivessem perante uma real situação de perigo. Até que perceberam que se tratava da filmagem de uma série. E que os encapuzados não eram criminosos mas atores.

Só que, aparentemente, nem a polícia local nem a Guardia Civil tinham sido informadas.

A situação foi tensa durante alguns minutos e poderia ter corrido mal porque os polícias estavam armados e, ao contrário dos atores, as suas pistolas tinham balas verdadeiras.

As filmagens tiveram autorização do autarca José Vicente Alemany e um vereador abriu a porta do andar térreo da sede do município à equipa para as gravações. No entanto, fontes municipais indicaram à EFE que em nenhum momento foi especificado o tipo de cena que iria ocorrer, pelo que as forças de segurança não foram informadas de que se tratava de uma simulação do uso de armas de fogo.

Agora, de acordo com o El Pais, está a decorrer uma investigação para perceber se a equipa de produção tinha todas as autorizações necessária ou se foi a Câmara Municipal que falhou ao não avisar as autoridades policiais. 

A série, com o título "Powerboys", é realizada por Aitor Espert e tem estreia prevista para 2022 na plataformas de streaming Netflix.

Maria João Caetano