Abriu na semana passada em Estepona, Málaga, aquele que aspirava a ser o maior escorrega urbano da Europa. Porém, a estrutura foi encerrada preventivamente logo no dia em que foi inaugurada por decisão do município, dada a "perigosidade" da diversão.

Segundo a imprensa espanhola, quem desceu no escorrega queixou-se de vários ferimentos, nomeadamente cortes e queimaduras: a estrutura é feita em aço inoxidável, tem 38 metros de comprimento e uma inclinação entre os 32 e os 34 graus.

Nas redes sociais, tornou-se viral o vídeo de uma jovem que desceu o escorrega a alta velocidade, terminando a viagem em voo por não ter conseguido parar no final.

 

A própria, que desceu o escorrega a filmar de telemóvel na mão, acabou por partilhar as imagens da atribulada viagem.

 

Perante a polémica, foi proibida a utilização do escorrega, construído no desnível entre duas ruas, e o município divulgou um comunicado explicando que "foram colocadas indicações de como se deve usar o escorrega de forma adequada para não correr riscos, entre elas o facto de ser proibido deslizar deitado".

A autarquia informou na mesma nota que o escorrega, que custou 28 mil euros, será reavaliado, e classificou como "ato isolado" as imagens difundidades nas redes sociais, lamentando o alarme causado porque "mais de um milhar de utilizadores experimentaram esta infraestrutura fazendo um uso adequado da mesma e, portanto, sem nenhuma incidência"