O Valladolid, clube da primeira liga espanhola, garantiu, esta terça-feira, que não vai libertar o treinador Sérgio González, nem os jogadores Rubén Alcaraz e Jordi Masip, para o próximo jogo particular da seleção da Catalunha.

O conjunto catalão defronta a Venezuela na próxima segunda-feira, 25 de março, no estádio Montilivi, em Girona, num jogo de caráter particular confirmado pela Federação Catalã de Futebol no início de fevereiro.

«O clube entende que deve priorizar os seus interesses desportivos numa fase decisiva da temporada», refere o Valladolid, em comunicado, numa altura em que está no 16.º lugar da liga espanhola, com 29 pontos, quatro acima da zona de descida, a dez jornadas do fim.

O jogo serve, para a Venezuela, como preparação para a Copa América 2019, que se disputa no Brasil.

Rayo Vallecano também segura dois atletas

Em comunicado, ao final desta terça-feira, o Rayo Vallecano também informou que os futebolistas Alberto García e Álex Moreno não vão disputar o jogo particular pela Catalunha.

«Tomámos esta decisão com respeito à Federação Catalã de Futebol, mas entendendo que devemos evitar qualquer risco de lesão dos nossos jogadores, num momento tão decisivo da competição», refere o clube, sublinhando que é de «vital importância» que ambos estejam no plantel para «assimilar» os princípios do sucessor de Míchel no comando técnico, ainda por confirmar.

Notícia atualizada às 23h59