A polícia espanhola deteve um dos fugitivos mais procurados da Europa. Esteban Vacas García, de 49 anos, estava a monte desde 2006, o ano em que foi condenado a 16 anos de prisão por violar de forma repetida a enteada de 15 anos. Após 12 anos em fuga, o homem foi agora apanhado depois de as autoridades terem descoberto que ele tinha construído um esconderijo na casa onde cresceu.

De acordo com o jornal britânico The Guardian, Esteban García desapareceu há mais de uma década, antes de ser condenado pelos crimes de violação e agressão sexual. Apesar de constar da lista dos mais procurados pela Europol, o fugitivo sempre tinha conseguido iludir as autoridades. Na quarta-feira, o caso mudou de figura quando oficiais da Polícia Nacional de Espanha o localizaram num endereço em Salamanca, na região de Castela e Leão.

Foi finalmente encontrado em Salamanca, na casa de família onde cresceu, saindo da propriedade apenas em raras ocasiões e sempre às primeiras horas da manhã", informou a polícia num comunicado. “[Na quarta-feira à tarde], os agentes foram à propriedade com uma ordem judicial. Uma vez lá, descobriram que o fugitivo tinha construído um esconderijo por baixo de uma bancada na cozinha para se esconder quando a polícia chegasse".

A mesma força policial sublinhou que Esteban García “desapareceu sem deixar rasto” antes de ser condenado pelos crimes que cometeu.

“Ele violou repetidamente uma das filhas da companheira, que tinha 15 anos na época, aproveitando a sua posição de autoridade e usando a força e a violência", referiu ainda a polícia em comunicado. "Ele também ameaçou [a vítima] de lhe matar a mãe e a irmã se ela contasse a alguém o que tinha acontecido."

No decorrer das investigações, as autoridades colocaram a hipótese de García se ter escondido na região sudoeste da Extremadura ou fugido do país. Mantiveram também de baixo de olho, em toda a Espanha, a família e os amigos próximos. Mas um apelo público em novembro de 2016, no qual a foto de Vacas García circulou no Twitter, produziu "resultados positivos" e levou as autoridades a localizá-lo na região de Castela e Leão.