O número de mortos devido às fortes chuvas que afetam o estado brasileiro de Espírito Santo desde a última sexta-feira subiu para sete e 2.355 pessoas foram retiradas das suas casas, informou esta quarta-feira a Defesa Civil.

Segundo o último boletim da Defesa Civil, divulgado na manhã de hoje, Iconha é o município a registar o maior número de mortos, com quatro até ao momento, tendo sido um dos mais afetados pelo temporal, muito pela subida de mais de quatro metros do nível do rio que atravessa a localidade.

Outras três pessoas morreram em Alfredo Chaves, o município com maior número de desalojados.

No total, 2.271 pessoas estão deslocadas em casas de familiares ou amigos, a maioria nas localidades de Alfredo Chaves e Vargem Alta, e 84 estão colocadas em abrigos, como igrejas e escolas, totalizando 2.355 cidadãos fora das próprias habitações.

Até ao momento, uma pessoa permanece desaparecida e há registo de um ferido.

As previsões meteorológicas para as próximas horas para aquela região, localizada no Sudeste do Brasil, são de chuva intensa e ventos muito fortes.

Ainda de acordo com o último boletim da Defesa Civil, várias habitações e estruturas colapsaram, ou estão em risco de desabamento, e há registo de pessoas arrastadas pela força da água.

Dezenas de pontes ficaram danificadas ou totalmente destruídas, rios transbordaram, há registo de deslizamento de terras, e várias estradas continuam interditadas no estado de Espírito Santo.

Várias comunidades encontram-se isoladas devido a acessos obstruídos, estando sem comunicação, sem água potável, e sem energia elétrica.

Devido à situação, vários municípios afetados declararam situação de calamidade pública.

/ AG