Três pessoas detidas esta semana por suspeita de envolvimento no caso dos 39 migrantes encontrados mortos dentro de um camião, num parque industrial perto de Londres, foram libertadas sob fiança, anunciou este domingo a polícia.

A polícia de Essex informou que um homem e uma mulher de 38 anos, ambos residentes em Warrington (norte de Inglaterra), e um homem de 45 anos, da Irlanda do Norte, foram libertados depois de interrogados.

Todos foram detidos por suspeita de tráfico de seres humanos e homicídio involuntário.

Segundo a imprensa britânica, a mulher agora libertada é a última proprietária conhecida do camião Scania utilizado para transportar o contentor frigorífico.

Os jornais, que ouviram a mulher e o marido – o outro detido de 38 anos - antes de serem detidos, escrevem que ambos negam qualquer envolvimento no caso e afirmam ter vendido o camião há cerca de um ano.

Os três suspeitos agora libertados ficam sob controlo judicial, o casal até 11 de novembro e o outro homem até 13 de novembro.

As autoridades britânicas descobriram na quarta-feira 39 migrantes mortos dentro de um camião frigorífico no parque industrial de Grays, junto ao porto de Essex, cerca de 30 quilómetros a leste de Londres.

No sábado, o motorista do camião, um norte-irlandês de 25 anos, foi acusado de 39 crimes de homicídio involuntário, conspiração para o tráfico de pessoas e conspiração para o branqueamento de capitais obtidos através da imigração ilegal.

O suspeito, identificado como Maurice Robinson, deve ser presente a tribunal na segunda-feira.