Os serviços meteorológicos dos EUA receberam desde o início do ano 934 relatos de tornados, que provocaram 38 mortes, batendo largamente a média anual de 743.

Nos últimos 30 dias foram observados mais de 500 tornados nos Estados Unidos e só na terça-feira passada chegaram 27 relatos deste fenómeno natural, que há vários anos tinha desaparecido da preocupação dos norte-americanos.

O que está a acontecer é muito raro”, explicou Patrick Marsh, meteorologista do Centro Federal de Previsão de Tempestades.

Na segunda-feira, os EUA assistiram a 11 dias consecutivos com tornados no território, batendo um recorde que permanecia desde 1980.

Durante a passada semana, as autoridades norte-americanas registaram sete mortes e dezenas de feridos, consequência de uma elevada sequência de tornados que tem afetado sobretudo o território central dos EUA, com especial incidência em estados como Missouri, Kansas e Oklahoma.

Os Estados Unidos experimentaram uma acalmia no número de tornados desde 2012.

Os meteorologistas ainda não conseguiram explicar este fenómeno de decréscimo de tornados, tal como não percebem o seu regresso em força, este ano.

Muitas pessoas tentam dar uma explicação, mas não há uma resposta definitiva", disse Marsh.

O surto de atividade de tornados nas últimas duas semanas foi impulsionado por um sistema de alta pressão na região do sudeste e por uma frente fria incomum sobre as Montanhas Rochosas que forçaram a entrada de ar quente e húmido na região central, provocando repetidas tempestades e tornados.

A situação deverá permanecer e os tornados repetir-se, porque, diz o meteorologista, “nenhum desses sistemas mostra sinais de movimento”.

Cathy Zapotocny, meteorologista num centro de observação no Nevada, acrescenta que a atmosfera se tem revelado muito instável desde o inverno passado, o que ajuda a compreender as inundações e tempestades a que se assistiu em várias regiões do país.

Maio é geralmente o mês com maior incidência de tornados, geralmente nas planícies do interior dos EUA.

A maioria dos tornados confirmados tem tido uma escala pouco intensa, mas 23 dos mais de 900 observados atingiram velocidades de mais de 200 quilómetros por hora, tendo o mais forte deles, no Alabama, em março, provocado 23 mortes.

Desde o início do ano, já morreram 38 pessoas, nos 10 tornados mais fortes.