O estado norte-americano do Wisconsin (centro-oeste dos Estados Unidos) abriu hoje um inquérito criminal após a polícia da cidade de Kenosha ter baleado no domingo um homem negro pelas costas, caso que desencadeou, entretanto, protestos locais.

Os polícias envolvidos foram colocados em licença administrativa", informou o Departamento de Justiça estadual, num comunicado.

O homem afro-americano, identificado como Jacob Blake, encontra-se em estado grave num hospital de Milwaukee, para onde foi transportado de helicóptero após o incidente de domingo, segundo indicou a polícia de Kenosha.

A polícia precisou que o incidente ocorreu quando elementos policiais respondiam a um incidente doméstico.

Um vídeo captado por um telemóvel, que foi, entretanto, divulgado através das redes sociais e pelos ‘media’ norte-americanos, mostra um homem afro-americano, acompanhado por dois agentes policiais brancos com armas em punho, enquanto contorna um veículo todo-o-terreno.

O homem é encaminhado para o interior do veículo e, assim que abre a porta e tenta instalar-se no lugar do condutor, um polícia puxa-lhe a camisa e dispara vários tiros nas costas.

O advogado de direitos civis Ben Crump afirmou que os três filhos de Jacob Blake estavam no interior do veículo quando a polícia disparou, indicando ainda que a vítima estava a tentar apaziguar uma discussão entre duas mulheres.

Viram um polícia a disparar contra o seu pai. Ficarão traumatizados para toda a vida", afirmou o advogado através de uma mensagem publicada na rede social Twitter.

Ben Crump é o advogado que representa a família de George Floyd, um afro-americano que morreu asfixiado pelo joelho de um polícia branco em maio passado, na cidade norte-americana de Minneapolis.

Durante várias semanas, o caso de George Floyd desencadeou manifestações antirracismo e contra a violência policial nos Estados Unidos, mas também em muitos outros países.

Horas depois do incidente, manifestantes protestaram durante a noite em Kenosha e foram registados confrontos com as forças de segurança, de acordo com imagens divulgadas pelo Milwaukee Journal Sentinel.

Posteriormente, as autoridades locais decidiram decretar o recolher obrigatório.

Jacob Blake foi baleado várias vezes nas costas em plena luz do dia em Kenosha, Wisconsin", disse o governador estadual, Tony Evers, na rede social Twitter.

Afirmando desconhecer ainda "todos os detalhes" do incidente, Tony Evers acrescentou: "O que sabemos de certeza é que ele não é o primeiro homem negro ou a primeira pessoa a ser baleada, ferida ou impiedosamente morta por indivíduos responsáveis pela aplicação da lei no nosso estado ou país”.

Estamos ao lado de todos aqueles que exigiram e continuam a exigir justiça, equidade e responsabilidade pela vida dos negros no nosso país”, frisou ainda o governador democrata do Wisconsin.

/ JGR