Melanie Coleman, ginasta americana da Southern Connecticut State University que competia na segunda divisão da liga universitária norte-americana, morreu no passado domingo, avançou um porta-voz da universidade.

A ginasta sofreu uma queda aparatosa durante um treino nas barras assimétricas, um dos aparelhos de ginástica artística, na passada sexta-feira. Melanie foi socorrida e transportada de imediato para o hospital, mas acabou por não sobreviver às lesões na espinal medula.

O treinador de Melanie Coleman, Thomas Alberti, disse à CNN que se tratou de um "completo acidente".

Melanie tinha 20 anos, era estudante de enfermagem e trabalhava em part-time como treinadora de ginástica. 

Embora as morte de ginastas durante os exercícios sejam raras, este não é o primeiro caso regjstado, pelo menos nos Estados Unidos: em 1998, uma ginasta de 15 anos, Julissa Gomez, ficou paralizada depois de sofrer um acidente um durante um salto. A ginasta acabou por morrer três anos depois, na sequência de complicações da queda.

Anualmente, cerca de 100.000 ginastas sofrem lesões durante treinos, avança o centro médico da Universidade de Pittsburgh.