A ideia foi de Ronald Rael, professor de arquitetura, e Virgina San Fratello, que dá aulas de design: na fronteira que separa Sunland Park, no Novo México, EUA, de Ciudad Juárez, no México, foi instalada uma estrutura com três baloiços cor-de-rosa, para que adultos e crianças dos dois lados possam brincar em conjunto, apesar de separados por uma vedação de ferro. 

O projeto, com dez anos, tornou-se agora realidade, numa altura em que a União Americana pelas Liberdades Civis denunciou que mais de 900 crianças migrantes continuam separadas das famílias na fronteira dos EUA. As imagens dos baloiços rapidamente se tornaram virais nas redes sociais.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

One of the most incredible experiences of my and @vasfsf’s career bringing to life the conceptual drawings of the Teetertotter Wall from 2009 in an event filled with joy, excitement, and togetherness at the borderwall. The wall became a literal fulcrum for U.S. - Mexico relations and children and adults were connected in meaningful ways on both sides with the recognition that the actions that take place on one side have a direct consequence on the other side. Amazing thanks to everyone who made this event possible like Omar Rios @colectivo.chopeke for collaborating with us, the guys at Taller Herrería in #CiudadJuarez for their fine craftsmanship, @anateresafernandez for encouragement and support, and everyone who showed up on both sides including the beautiful families from Colonia Anapra, and @kerrydoyle2010, @kateggreen , @ersela_kripa , @stphn_mllr , @wakawaffles, @chris_inabox and many others (you know who you are). #raelsanfratello #borderwallasarchitecture

A post shared by Ronald Rael (@rrael) on

No Instagram, Ronald Rael publicou um vídeo do momento em que várias crianças se divertem a baloiçar. Um momento de "alegria, entusiasmo e união no muro da fronteira", escreveu na legenda. "O muro tornou-se fulcral nas relações entre Estados Unidos e México e crianças e adultos ligaram-se de forma profunda de ambos os lados, reconhecendo que as ações que têm lugar num dos lados têm consequência direta no outro", acrescentou o profesor de arquitetura. 

/ BC