Uma norte-americana vítima de violência doméstica conseguiu chamar a polícia fingindo que telefonava para um restaurante a encomendar uma pizza. A mulher estava, na realidade, a ligar para o 911, o número de emergência equivalente ao 112 em Portugal, mas quando o operador atendeu a chamada pediu uma pizza para a morada em que se encontrava.

Este é o número errado para pedir pizza", respondeu Tim Teneyck. "Não, não. Não está a perceber", disse a mulher. Perante a insistência dela, que garantia estar a falar com a pessoa certa, Teneyck percebeu o pedido de auxílio. "Estou a compreender agora", disse Teneyck. 

Durante a chamada, refere a comunicação social norte-americana, a vítima conseguiu mesmo informar o operador sobre o perigo que corria, num momento em que ela e a mãe estavam sob ameaça. O episódio aconteceu na cidade de Oregon, no Estado do Ohio.

O outro homem ainda está aí?", perguntou Teneyck, "Sim, quero uma pizza grande", respondeu a mulher. Quando foi questionada se precisava de assistência médica, a vítima disse, com sangue frio: "Não. Com pepperoni". 

A tática de fingir pedir uma pizza ao telefone para, dissimuladamente, chamar as autoridades, tem sido partilhada nas redes sociais nos Estados Unidos. Nas partilhas, diz-se mesmo que os operadores do 911 estão formados para reconhecer um pedido de ajuda quando alguém liga para o número a pedir uma pizza, mas a informação é totalmente falsa. Porém, Tim Teneyck recordou-se de ver circular as publicações. "Vês isso no Facebook, mas é algo para o qual nunca ninguém foi treinado", explicou. "Outros operadores com quem falei não teriam percebido", admitiu.