Os Estados Unidos já registaram mais de 15.000 mortos devido à pandemia de Covid.19. Segundo a contagem da Universidade Johns Hopkins, há agora 15.938 mortos no país.

Os dados indicam ainda que os EUA já contam com cerca de 450.000 casos de contaminação.

Com este número de vítimas, os EUA superam o número de mortes em Espanha e aproximam-se perigosamente dos números de Itália, com 18.279 óbitos confirmados, o país com maior número de mortes registadas até agor

Nova Iorque, o Estado mais afetado, registou um novo recorde diário de mortes: 799 mortes nas últimas 24 horas. Desde o início da pandemia já morreram mais de 7.000 pessoas na região. 

Ainda assim, as autoridades nova-iorquinas garantem que a situação está a estabilizar: “Estamos a achatar a curva. Tivemos um aumento de hospitalizações de apenas 200”, disse o governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, referindo que este é o número mais baixo desde o início da pandemia.

Os últimos três dias foram marcados por recordes nos números de mortes, com 779 na quarta-feira, mas as autoridades dizem que talvez se esteja a chegar a um ponto de viragem na propagação do vírus.

O número de novos internados e de novos doentes em cuidados intensivos foi hoje o mais baixo desde o início da crise no estado, o que deve achatar a curva de mortos nas próximas semanas.

Segundo o governador, a escassez de camas hospitalares prevista por vários modelos matemáticos foi evitada,  mas ainda existe a possibilidade de o estado ser atingido por uma segunda vaga da pandemia.

“Não saímos da floresta”, disse, vincando que as medidas de contenção que foram aplicadas há 18 dias vão manter-se.

O estado mudará de alerta vermelho para laranja, antes de ir para a situação verde, explicou Cuomo, acrescentando que a partir de agora as autoridades irão testar milhões de trabalhadores para decidir quem estará imune ao novo coronavírus.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou mais de 1,5 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram quase 89 mil.

Dos casos de infeção, mais de 312 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

. / Publicado por Sofia Santana