O presidente dos Estados Unidos disse esta sexta-feira que o estado de Nova Iorque não vai receber a vacina contra a covid-19 de logo que esteja disponível.

Segundo a imprensa norte-americana, Donald Trump prometeu uma vacina para todo o território no mês de abril, à exceção do estado de Nova Iorque.

Em causa estão as declarações do governador do estado, Andrew Cuomo, que afirmou que a vacina escolhida pela administração Trump terá de ser aprovada primeiro pelos especialistas do estado de Nova Iorque.

Andrew Cuomo disse que confiava nas empresas farmacêuticas, mas não na atual administração norte-americana.

Não vamos disponibilizar a vacina a Nova Iorque até que haja uma autorização para o fazer, e dói-me dizer isso. Esta é uma vacina bem sucedida. O governador vai ter de nos dizer quando estiver pronto para receber a vacina", disse Donald Trump, referindo-se ao produto da Pfizer.

Segundo Andrew Cuomo, que falou à CBS, outros estados também estão a considerar a hipótese de formarem um comité para a aprovação da vacina contratualizada pela administração Trump.

A procuradora do estado de Nova Iorque, Letitia James, disse que está preparada para processar a administração Trump se a vacina não for disponibilizada ao mesmo tempo que o resto do país.

Em comunicado, Letitia James afirma que as afirmações de Donald Trump não passam de um "comportamento vingativo", aproveitando para dizer que está confiante que a próxima administração Biden-Harris irá disponibilizar a vacina a Nova Iorque em número necessário para que o estado possa atingir a imunidade.

Os Estados Unidos são o país mais afetado pela covid-19 em todo o mundo. Entre os 50 estados, Nova Iorque é aquele que contabilizou mais mortes. Num total de mais de 545 mil casos, cerca de 34 mil pessoas morreram naquele estado.

António Guimarães