Uma criança de três anos sobreviveu a um caso trágico de violência doméstica nos Estados Unidos: a menina foi encontrada debaixo da cama depois de o pai ter matado a mãe, de 29 anos, e duas irmãs, de sete e cinco anos.

Os crimes violentos aconteceram em Phoenix, na quinta-feira, depois de Austin Smith, de 30 anos, ter confrontado a mulher, Dasia Patterson, com suspeitas de que esta o traia com outro homem.

A discussão, que ocorreu na casa onde a família vivia, acabou de forma macabra: Austin matou a mulher e duas filhas, Mayan, de sete anos, e Nasha, de cinco.

Quando a polícia chegou ao local dos crimes encontrou uma terceira filha, de três anos, debaixo da cama. A menina não estava ferida.

Depois de ter matado a mulher e duas filhas, Austin ainda foi até à casa de Ron Freeman, o homem com quem ele achava que a mulher tinha uma relação. Matou-o a tiro e feriu duas pessoas, que não foram identificadas. Um dos feridos, uma mulher, está em estado crítico, segundo a polícia.

Ele confessou os crimes e disse que acreditava que a mulher, Dasia, o tinha traído com Ron. Austin afirmou que Deus lhe disse para fazer o que fez”, informou o porta-voz da polícia Tommy Thompson, aos jornalistas.

De acordo com as informações divulgadas pelas autoridades Austin disse que não matou a filha mais nova porque ela “o lembrava de si próprio”.

Austin já foi presente a tribunal e acusado de quatro crimes de homicídio em primeiro grau, dois crimes de tentativa de homicídio em primeiro grau e três crimes de agressões agravadas.