Conhecido pela excentricidade e por se apresentar como um self made man, Donald Trump, o presidente dos Estados Unidos da América, sempre quis passar a imagem de magnata que é excelente gestor de  negócios. Mas documentos agora divulgados pelo New York Times mostram que Trump perdeu mais de mil milhões de euros (1,17 mil milhões de dólares) entre 1985 e 1994.

As maiores perdas do multimilionário - que fez fortuna nas áreas do jogo, hotelaria e imobiliário - foram registadas em 1990 e 1991, anos em que Trump perdeu cerca de 500 milhões de dólares (perto de 446 milhões de euros).

O desaire financeiro foi tão grande que Donald Trump ficou isento do pagamento de impostos em oito dos dez anos fiscais cujos dados foram agora divulgados, numa década em que foi o contribuinte norte-americano que mais dinheiro perdeu, ano após ano.

O New York Times não teve acesso às declarações de impostos do presidente, mas usou informações dadas por fonte conhecedora que depois fez coincidir com os números da base de dados pública do fisco.

Ao jornal, um dos advogados do presidente, Charles J. Harder, disse que as informações obtidas são “comprovadamente falsas”, e "altamente imprecisas”. Contudo, não apontou quaisquer erros específicos.

A relação de Donald Trump com o fisco tem sido um dos cavalos de batalha dos democratas norte-americanos, que continuam a tentar obrigar o presidente a divulgar as declarações de impostos dos anos passados, algo que Trump se tem recusado a fazer.

Em reação à notícia do New York Times, Nancy Pelosi, democrata e presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, limitou-se a dizer que estas revelações não trazem "nada de novo".